Graduação

Gastronomia

Por que Gastronomia UNIFACEX?

O curso superior de tecnologia em Gastronomia do UNIFACEX apresenta um projeto pedagógico moderno que propõe a formação de profissionais empreendedores, qualificados e atuantes no mercado de trabalho da gastronomia, respeitando a cultura, a sociedade e o meio ambiente. Nossa instituição apresenta, segundo o MEC, um conceito 4, representando assim o padrão de qualidade de todos os cursos existentes.

MISSÃO

Formar profissionais gastrônomos com visão crítica do contexto social, econômico, político e cultural e com capacidade técnico-científica para desenvolver atividades específicas da área de alimentação e gastronomia.

OBJETIVOS
  • Promover o desenvolvimento de habilidades técnicas para a produção em cozinhas profissionais, observando a manipulação correta dos alimentos, dentro dos parâmetros de segurança, segundo a legislação vigente, visando garantir qualidade e resguardar a saúde das pessoas;
  • Instrumentalizar o estudante para atividades de gestão no setor de Alimentos e Bebidas, considerando a criação, implantação e operacionalização de negócios;
  • Capacitar o estudante para atuar em atividades afins, com o desenvolvimento de técnicas culinárias, planejamento de cardápios, elaboração de fichas técnicas, controle de custos, gestão de pessoas e de negócios;
  • Conhecer técnicas de seleção, aquisição, armazenamento, conservação e preparo dos vários grupos de alimentos, entendendo as suas transformações nos processos de manipulação e cocção, considerando a qualidade de vida das pessoas;

 

PERFIL DO EGRESSO DE GASTRONOMIA

O egresso do curso de tecnologia em Gastronomia do UNIFACEX será um profissional generalista, humanista e crítico, para atuar, visando conhecimento técnico do alimento, irá conceber, planejar, gerenciar e operacionalizar produções culinárias nas diferentes fases dos serviços de alimentação. Criar preparações culinárias e valorizar a ciência dos ingredientes. Diferenciar e coordenar técnicas culinárias. Planejar, controlar e avaliar custos. Coordenar e gerenciar pessoas de sua equipe. Validar a segurança alimentar. Planejar, elaborar e organizar projetos de fluxo de montagem de cozinha. Identificar utensílios, equipamentos e matéria-prima em restaurantes e estabelecimentos alimentícios. Articular e coordenar empreendimentos e negócios gastronômicos. Identificar novas perspectivas do mercado alimentício. Vistoriar, avaliar e emitir parecer técnico em sua área de formação.

INSTALAÇÕES
  • Salas de aula climatizadas e adequadas ao número de alunos;
  • Biblioteca com um vasto acervo na área de Gastronomia e da saúde, com acesso on-line.
  • Laboratórios de informática com equipamentos e softwares que promovem a vivência do aluno;
  • Laboratório de Análise sensorial com toda a tecnologia necessária a essa prática.
  • Laboratório de cozinha quente e fria com equipamentos novos e de alta tecnologia.
  • Laboratório de confeitaria e panificação.
  • Laboratório de bebidas – Sala bar.
  • Auditórios modernos equipados com sistema de som e multimídia;
  • Estacionamento amplo;
  • Lanchonetes;
  • Serviço de reprografia;
AVALIAÇÃO DE ENSINO APRENDIZAGEM

O processo de avaliação é composto por duas unidades avaliativas intituladas de unidades, respectivamente, I e II. Em cada unidade, o estudante é submetido a atividades avaliativas denominadas de parcial e principal e, ao seu término, deverá integrar um valor de 10 (dez) pontos. Assim temos uma ou mais atividades avaliativas chamadas de parciais, com peso total de 3,0 (três) pontos (livremente distribuídas entre a quantidade de avaliações parciais), nas quais o professor poderá escolher a aplicação de atividades avaliativas em grupos ou individuais, sejam relatórios, seminários, trabalhos, pesquisas, dentre outros.

Para efeito de complementação da nota de cada unidade, temos a avaliação principal para todas as disciplinas regulares do currículo do curso com peso 7,0 (sete) pontos, em caráter individual, em sala de aula, dentro do calendário de provas divulgado pela coordenação do curso.

Conforme já mencionado, a cada verificação de aproveitamento de cada uma das unidades avaliativas é atribuída uma nota total, expressa em grau numérico de zero a dez. Atendidas, em qualquer caso, a frequência mínima de setenta e cinco por cento às aulas e demais atividades acadêmicas, é considerado aprovado o aluno que:

Obtiver nota de aproveitamento igual ou superior a 7,0 (sete), resultado da média aritmética das notas das duas unidades avaliativas realizadas no semestre letivo;

Mediante exame final, cuja nota obtida somada à média do primeiro semestre, corresponda à média aritmética igual ou superior a 6,0 (seis). Ressalte-se que, para o discente ser submetido ao exame final, faz-se necessário que tenha obtido uma média semestral maior ou igual a 3,0 (três) e inferior a 7,0 (sete).

Facebook
Facebook
Twitter
Visit Us
YOUTUBE
Instagram