CPA

ATUAÇÃO DA CPA DO UNIFACEX

A CPA foi constituída em 2004 e realizou a primeira autoavaliação da instituição em 2006.1 referente ao período letivo de 2005.2. Toda comunidade acadêmica participou desse processo – docentes, discentes, coordenadores, diretores e técnicos administrativos. Os resultados foram expressos num relatório juntamente com um plano de metas que nortearam as ações realizadas pela instituição no biênio 2006-2008.

A segunda autoavaliação realizada pela CPA aconteceu em 2008 e a terceira em 2010. A partir de 2011, a CPA passou a fazer a autoavaliação anualmente, tendo como referência de dados, os resultados das avaliações semestrais, das pesquisas com ingressantes e concluintes, os resultados das ações de pesquisa e extensão, o plano de ação do PDI (Plano de Desenvolvimento Institucional) e as ações realizadas pelo NEP (Núcleo de Educação Permanente) junto ao corpo docente.

A autoavaliação de 2014 seguiu a orientação da Nota Técnica nº 062/2014 – INEP/DAES/CONAES, de 09 de outubro de 2014. Contudo, as fontes de dados para análises e interpretações continuam as mesmas. Ainda por esta Nota Técnica, a partir de 2015, os relatórios das autoavaliações passaram a ter dois parciais e um terceiro integral, fechando o ciclo de três anos.

Dentro do processo de avaliação interna da instituição, a CPA juntamente com a Reitoria e Pró-Reitoria Acadêmica, institucionalizou a avaliação de desempenho docente e de coordenação de curso, com realização semestral a parir de 2007.1, permitindo uma autocrítica da prática pedagógica e da gestão de curso ao final de cada período letivo. A cada semestre, os instrumentos vêm sendo continuamente repensados pela CPA com o objetivo de abranger a avaliação das atividades meio e fim da IES, e envolver todos os segmentos da comunidade acadêmica. A partir de 2011.1, a CPA aplicou os questionários através de um sistema online, desenvolvido pelo setor de TI da Instituição. Em 2013.2 conseguiu definir e aplicar o questionário de avaliação aos Técnicos Administrativos, abrangendo assim, os quatro segmentos da comunidade acadêmica no processo de avaliação semestral. Com isso, o papel de cada segmento no processo avaliativo ficou definido da seguinte maneira:

  • DOCENTE: faz uma autoavaliação, avalia as turmas, a coordenação do seu curso e os serviços / condições da Instituição;
  • COORDENADOR: faz uma autoavaliação, avalia os docentes do seu curso e os serviços / condições da Instituição;
  • DISCENTE: faz uma autoavaliação, avalia os docentes da turma, a coordenação do curso e os serviços / condições da Instituição;
  • TÉCNICO ADMINISTRATIVO: faz uma autoavaliação do seu papel enquanto prestador de serviço à comunidade acadêmico, avalia o serviço prestado, o setor de trabalho, o gestor e os demais serviços da Instituição.

Dentro das suas linhas de atuação, a CPA tem focado, após cada processo avaliativo (seja a avaliação semestral, seja a autoavaliação institucional), na discussão dos resultados, principalmente junto aos dirigentes da instituição, com a finalidade de desencadear o planejamento de metas e a execução de ações que possam reverter às fragilidades didáticas, pedagógicas e administrativas apontadas pela comunidade acadêmica.

Além disso, a CPA realiza pesquisa de perfil do aluno ingressante da graduação e pesquisa junto ao aluno concluinte, no início e no final de cada semestre letivo, respectivamente.

A CPA desenvolveu questionários para a avaliar o desempenho docente na Pós-Graduação e no ensino a distância – EaD.

Em 2017.1, implantou um novo sistema online desenvolvido pela TI, com o banco de questões totalmente reformulado e atualizado, considerando a ideia do participante discente, Jediael Alves da Silva, do Curso de Engenharia Civil.

Todo esse trabalho da CPA tem como propósitos:

  1. Produzir dados e relatórios que possam auxiliar a uma autorreflexão;
  2. Acompanhar, continuamente, a qualidade da Instituição e do seu desenvolvimento; e
  3. Auxiliar os dirigentes na proposição de ações, estratégias e políticas que possam fomentar o desenvolvimento e a qualidade da instituição.

Nesta perspectiva, a CPA tem se empenhado junto aos gestores para que os dados da avaliação sejam utilizados como ferramenta de autorreflexão, alinhamento de processos e tomada de decisão. Nestes termos, criou-se um ciclo de interpretação, discussão e compromissos, no qual, cada coordenador conversa individualmente com cada docente e com cada turma; cada coordenador conversa individualmente com a CPA e Pró-Reitoria Acadêmica; a CPA discute os dados em reunião conjunta com a Pró-Reitoria Administrativa e gestores.

Percebe-se que o trabalho da CPA é valorizado pelos gestores, docentes, discentes e técnicos administrativos. Todos reconhecem o valor da avaliação dentro do processo de crescimento e qualidade da instituição, a seriedade com que os dados, as informações e as discussões são conduzidas em cada segmento da comunidade acadêmica e com a gestão de maneira geral.