Graduação

Arquitetura e Urbanismo

O Curso Arquitetura e Urbanismo, de acordo com as suas Diretrizes Curriculares tem como ênfase a formação de Profissionais generalistas, aptos a compreender e traduzir as necessidades tanto de indivíduos, como de grupos sociais e comunidade, com relação à concepção, organização e construção do espaço interior e exterior, abrangendo o urbanismo, a edificação, o paisagismo, bem como a conservação e a valorização do patrimônio construído, a proteção do equilíbrio do ambiente natural e a utilização racional dos recursos disponíveis. Além de contemplar todos os princípios assinalados pelas Diretrizes Curriculares, o UNIFACEX preconiza um Curso de Arquitetura e Urbanismo conectado com as novas demandas do mercado potiguar, propondo para isto dois eixos de atuação que balizam o curso: o enfoque em gestão e em Arquitetura de Interiores e Paisagismo.

MISSÃO DO CURSO

O Curso de Arquitetura e Urbanismo do UNIFACEX tem por missão disseminar saberes, tecnologias, competências e habilidades que permitam formar profissionais competentes para conceber, projetar e construir o espaço social, preservando os patrimônios culturais e naturais, de forma sustentável.

OBJETIVOS

O curso de Arquitetura e Urbanismo do UNIFACEX tem com objetivo desenvolver as habilidades e competências necessárias para a atuação diferenciada do profissional de Arquitetura e Urbanismo no mercado de trabalho, garantindo um maior leque de atribuições junto aos Conselhos Regionais de Classe, através de proposta inovadora e abrangente (plena), com sólida formação técnica e de gestão.

DIFERENCIAIS DO CURSO UNIFACEX

Em sendo generalista, o profissional arquiteto urbanista precisa dialogar e articular uma gama variada de profissionais, que orbitam o projeto em seu processo de execução, sendo imprescindíveis conhecimentos de gestão que o instrumentalizem neste gerenciamento. É no intuito de diferenciar nosso profissional, que curso de Arquitetura e Urbanismo do UNIFACEX insere em sua grade curricular, disciplinas obrigatórias que envolvem técnicas e estratégias de gestão, que preparam o profissional para esta competência indispensável.

Considerando o fenômeno de intensa urbanização pelo qual as cidades brasileiras têm passado nos últimos anos, desde os anos 1990 Natal têm se destacado no processo de crescimento e fortalecimento de seu espaço urbano, e especialmente a recente exposição da cidade com a realização da Copa 2014,, espera-se um impulso na área de construção civil, com reflexos para o aumento da produção de novos projetos e reformas, tanto de espaços externos como internos, para os quais o profissional precisa se preparar através de sólidos conhecimentos teóricos e práticos, voltados à absorção, à utilização e à integralização de tecnologias inovadoras da área da construção civil.

Partindo da premissa de que projeto se aprende praticando e não só teorizando, o curso de Arquitetura e Urbanismo do UNIFACEX idealizou um curso com forte vocação projetual, no qual o aluno entra em contato com disciplinas que o estimulam na resolução de problemas de projetos desde o primeiro ao último semestre, familiarizando-o desde o princípio com a realidade do mercado de trabalho. E neste bloco de disciplinas, destacamos os projetos de arquitetura de interiores (uma demanda há muito existente no RN) e os de paisagismo (em franca expansão impulsionada pelos atuais problemas ambientais e busca pela sustentabilidade).

PERFIL DO EGRESSO

O perfil do egresso do Curso de Arquitetura e Urbanismo do UNIFACEX obedece aos requisitos das Diretrizes Nacionais do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo, partindo de uma formação por competências. Um currículo centrado no desenvolvimento de competências implica em um ambiente pedagógico caracterizado pela adoção de alternativas metodológicas dinâmicas e ativas, centradas no estudante como protagonista do seu próprio aprendizado. Estimulado na prática constante da pesquisa e em busca de resolver seus projetos, o aluno torna-se um profissional proativo, apto a articular dados complexos e estabelecer diretrizes de resolução de problemas, integrado às novas tecnologias e demandas de um mundo em constante mudança. É neste contexto, que o profissional da área deverá demonstrar as seguintes competências e habilidades:

  1. O conhecimento de aspectos antropológicos, sociológicos e econômicos;
  2. A compreensão sobre preservação da paisagem e avaliação dos impactos no meio ambiente, com vistas ao equilíbrio ecológico e ao desenvolvimento sustentável;
  3. As habilidades necessárias para conceber projetos de arquitetura, urbanismo e paisagismo;
  4. O conhecimento da História das Artes e da Estética;
  5. Os conhecimentos de Teoria e de História da Arquitetura, do Urbanismo e do Paisagismo;
  6. O domínio de técnicas e metodologias de pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, Urbanismo e Desenho Urbano;
  7. Os conhecimentos para o emprego adequado e econômico dos materiais de construção e das técnicas e sistemas construtivos;
  8. A compreensão dos sistemas estruturais e da concepção e do projeto estrutural;
  9. O entendimento das condições climáticas, acústicas, lumínicas e energéticas;
  10. Preservação, conservação, restauração, reconstrução, reabilitação e reutilização de edificações, conjuntos e cidades;
  11. As habilidades de desenho e domínio de geometria, assim como de meios de expressão e representação;
  12. O conhecimento dos instrumentais de informática;
  13. A habilidade na elaboração, feitura e interpretação de levantamentos topográficos.

ÁREA DE ATUAÇÃO

De acordo com a Resolução CAU/BR Nº 51 de 12/07/2013, que dispõe sobre as áreas de atuação privativas dos Arquitetos e Urbanistas e as áreas de atuação compartilhadas com outras profissões regulamentadas, e dá outras providências, são atribuições deste profissional:

I – DA ARQUITETURA E URBANISMO:
  • projeto arquitetônico de edificação ou de reforma de edificação;
  • projeto arquitetônico de monumento;
  • coordenação e compatibilização de projeto arquitetônico com projetos complementares;
  • relatório técnico de arquitetura referente à memorial descritivo, caderno de especificações e de encargos e avaliação pós-ocupação;
  • desempenho de cargo ou função técnica concernente à elaboração ou análise de projeto arquitetônico;
  • ensino de teoria, história e projeto de arquitetura em cursos de graduação;
  • coordenação de curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo;
  • projeto urbanístico;
  • projeto urbanístico para fins de regularização fundiária;
  • projeto de parcelamento do solo mediante loteamento;
  • projeto de sistema viário urbano;
  • coordenação e compatibilização de projeto de urbanismo com projetos complementares;
  • relatório técnico urbanístico referente a memorial descritivo e caderno de especificações e de encargos;
  • desempenho de cargo ou função técnica concernente à elaboração ou análise de projeto urbanístico; e
  • ensino de teoria, história e projeto de urbanismo em cursos de graduação;
II – DA ARQUITETURA DE INTERIORES:
  • projeto de arquitetura de interiores;
  • coordenação e compatibilização de projeto de arquitetura de interiores com projetos complementares;
  • relatório técnico de arquitetura de interiores referente a memorial descritivo, caderno de especificações e de encargos e avaliação pós-ocupação;
  • desempenho de cargo ou função técnica concernente à elaboração ou análise de projeto de arquitetura de interiores;
  • ensino de projeto de arquitetura de interiores;
III – DA ARQUITETURA PAISAGÍSTICA:
  • projeto de arquitetura paisagística;
  • projeto de recuperação paisagística;
  • coordenação e compatibilização de projeto de arquitetura paisagística ou de recuperação paisagística com projetos complementares;
  • cadastro do como construído (as built) de obra ou serviço técnico resultante de projeto de arquitetura paisagística;
  • desempenho de cargo ou função técnica concernente a elaboração ou análise de projeto de arquitetura paisagística;
  • ensino de teoria e de projeto de arquitetura paisagística;
IV – DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO CULTURAL E ARTÍSTICO:
  • projeto e execução de intervenção no patrimônio histórico cultural e artístico, arquitetônico, urbanístico, paisagístico, monumentos, práticas de projeto e soluções tecnológicas para reutilização, reabilitação, reconstrução, preservação, conservação, restauro e valorização de edificações, conjuntos e cidades;
  • coordenação da compatibilização de projeto de preservação do patrimônio histórico cultural e artístico com projetos complementares;
  • direção, condução, gerenciamento, supervisão e fiscalização de obra ou serviço técnico referente à preservação do patrimônio histórico cultural e artístico;
  • inventário, vistoria, perícia, avaliação, monitoramento, laudo e parecer técnico, auditoria e arbitragem em obra ou serviço técnico referente à preservação do patrimônio histórico cultural e artístico;
  • desempenho de cargo ou função técnica referente à preservação do patrimônio histórico cultural e artístico;
  • ensino de teoria, técnica e projeto de preservação do patrimônio histórico cultural e artístico;
V – DO PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL:

coordenação de equipe multidisciplinar de planejamento concernente a plano ou traçado de cidade, plano diretor, plano de requalificação urbana, plano setorial urbano, plano de intervenção local, plano de habitação de interesse social, plano de regularização fundiária e de elaboração de estudo de impacto de vizinhança;

VI – DO CONFORTO AMBIENTAL:
  • projeto de arquitetura da iluminação do edifício e do espaço urbano;
  • projeto de acessibilidade e ergonomia da edificação;
  • projeto de acessibilidade e ergonomia do espaço urbano.

AVALIAÇÃO DE ENSINO APRENDIZAGEM

O processo de avaliação é composto por duas unidades avaliativas intituladas de unidades, respectivamente, I e II. Em cada unidade, o estudante é submetido a atividades avaliativas denominadas de parcial e principal e, ao seu término, deverá integrar um valor de 10 (dez) pontos. Assim temos uma ou mais atividades avaliativas chamadas de parciais, com peso total de 3,0 (três) pontos (livremente distribuídas entre a quantidade de avaliações parciais), nas quais o professor poderá escolher a aplicação de atividades avaliativas em grupos ou individuais, sejam relatórios, seminários, trabalhos, pesquisas, dentre outros.

Para efeito de complementação da nota de cada unidade, temos a avaliação principal para todas as disciplinas regulares do currículo do curso com peso 7,0 (sete) pontos, em caráter individual, em sala de aula, dentro do calendário de provas divulgado pela coordenação do curso.

Conforme já mencionado, a cada verificação de aproveitamento de cada uma das unidades avaliativas é atribuída uma nota total, expressa em grau numérico de zero a dez. Atendidas, em qualquer caso, a frequência mínima de setenta e cinco por cento às aulas e demais atividades acadêmicas, é considerado aprovado o aluno que:

Obtiver nota de aproveitamento igual ou superior a 7,0 (sete), resultado da média aritmética das notas das duas unidades avaliativas realizadas no semestre letivo;

Mediante exame final, cuja nota obtida somada à média do primeiro semestre, corresponda à média aritmética igual ou superior a 6,0 (seis). Ressalte-se que, para o discente ser submetido ao exame final, faz-se necessário que tenha obtido uma média semestral maior ou igual a 3,0 (três) e inferior a 7,0 (sete).

Regime de Matrícula: Semestral.

 

 

Facebook
Facebook
Twitter
Visit Us
YOUTUBE
Instagram